Resíduos Agrícolas fornecem nanofibras para encapsulação probiótica

Novo estudo aponta que fibras provenientes de resíduos agrícolas e da indústria de alimentos podem ser utilizadas para nano-encapsulação de bioativos como probióticos.

 O estudo, publicado no “Journal of Agricultural and Food Chemistry”, explora o uso potencial para fibra solúvel dietética proveniente de resíduos industriais como resíduos sólidos de soja, de fibras de tronco de palmeiras-de-óleo e de subprodutos de óleo de palma (folhas e folhagens) para o nano-encapsulamento do probiótico Lactobacillus acidophilus.

“Com vistas no desenvolvimento sustentável, existe forte pesquisa na transformação de altos volumes de resíduos (causadores de vários problemas ambientais) em produtos sustentáveis como biodiesel líquido, fertilizantes, ração animal e até mesmo alimento humano” relata o líder do grupo da pesquisa, Min-Tze Liong, da “ School of Industrial Technology at the Universiti Sains Malaysia, Malaysia”.

O estudo identificou o óleo de palma e a soja como as maiores commodities do mundo, e explica que a expansão dessas commodities gera um excesso de resíduos de biomassa, já que apenas uma pequena parte da planta é aproveitada e tem valor  comercial”.  

Os autores do estudo afirmam que aproximadamente 90 % do óleo de palma é feito do tronco, folhas e outros resíduos fibrosos que contêm grandes quantidades de fibras solúveis como lignina, celulose e hemiceluloses. O resíduo okara, da polpa da soja e de indústrias produtoras de tofu também contém alto teor de fibras.

O estudo sugere que tais resíduos podem ser utilizados para a produção de outros alimentos e produtos nutracêuticos.

 Encapsulação

 As técnicas de encapsulação tem sido utilizadas para melhorar a ação dos probióticos na digestão. Com relação aos métodos de encapsulação convencionais as técnicas de nano-encapsulação oferecem muitas vantagens.

Os biopolímeros, que são biocompatíveis, biodegradáveis e atóxicos são ideais para a nanoencapsulação de bioativos para aplicações em alimentos e aplicações biomédicas.

As nanofibras produzidas a partir de frações de fibra de okara e óleo de palma mostraram, no estudo, um bom potencial de nano-encapsulação do probiótico Lactobacillus acidophilus. Os estudos de viabilidade mostraram um bom índice de sobrevivência das bactérias (78,6 a 90 %) sob as condições de eletrospinning (processo que consiste em depositar filamentos poliméricos usando uma força eletrostática, através da introdução de uma solução polimérica em um campo elétrico formando nanofibras que contêm uma razão área/volume consideravelmente alta). As bactérias também mostraram viabilidade sob condições de temperatura de refrigeração (durante 21 dias de armazenagem).  

FONTE: Journal of Agricultural and Food Chemistry
Published online ahead of print, doi: 10.1021/jf2009342
“Agrowaste-Based Nanofibers as a Probiotic Encapsulant: Fabrication and Characterization”


Authors: W-Y Fung, K-H Yuen, M-T Liong

Anúncios
Esse post foi publicado em Inovação, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Produtos Funcionais, Tecnologias e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s