Estudo: Taurina pode inibir formação de acrilamida

Fonte: International Journal of Food Science & Technology
June 2011, Volume 46, Issue 6, Pg 1282–1288
“Acrylamide–taurine adducts formation as a key mechanism for taurine’s inhibitory effect on acrylamide formation”
Autores: R. Hao, X. Leng, H. Jing

A Taurina, um ingrediente relacionado popularmente aos energéticos, pode ajudar a reduzir os níveis de acrilamida em alimentos, sugere nova pesquisa da China.

Um sistema laboratorial projetado como modelo para a formação de acrilamida mostrou que a taurina pode inibir a produção da substância carcinogênica em 72%.

 Sobre a taurina

A Taurina, derivada do aminoácido cisteína, é encontrada naturalmente nos alimentos (incluindo frutos do mar e carnes). É utilizada em bebidas energéticas pois acredita-se que ela auxilia na estimulação energética e desintoxicação do organismo –  motivo que é rejeitado pela EFSA (European Food Safety Authority).

Sabe-se que a taurina participa da reação de Maillard que produz acrilamida, e pode reduzir a sua produção.

De fato, pesquisadores da Universidade da Coréia, da companhia Namyang Dairy Products e do Instituto de Pesquisa da Coréia mostraram que batatas fritas expostas a uma solução de taurina antes do processo de fritura apresentaram 96% menos acrilamida.

 A história da acrilamida

Embora a substância seja carcinogênica em laboratório, muitos estudos epidemiológicos mostram que a exposição diária a acrilamida na alimentação é muito baixa para considerarmos o fato preocupante.

O composto foi alvo de discussões em 2002, quando cientistas da “Swedish Food Administration” alertaram sobre os altos níveis de acrilamida em alimentos ricos em carboidratos, causando câncer em ratos.

Desde a descoberta sueca, um esforço global e estudos tem sido realizados em cima deste químico. Mais de 200 projetos de pesquisa foram iniciados no mundo e suas descobertas acompanhadas pelos governos nacionais, Estados Unidos e Nações Unidas.

 Dados

No final do ano de 2009, um estudo toxicológico mostrou que ingestões toleráveis de acrilamida não devem exceder 2.6 microgramas por quilograma de peso do corpo, para evitar o risco de câncer. Estes níveis foram estimados por diversas agências nacionais e estudos. A “Health Canada”, por exemplo, estima que a média de exposição de acrilamida em alimentos para adultos tolerável está entre 0,3 e 0,4 microgramas per quilograma de peso de corpo por dia. Já um estudo da Suécia estimou ingestões de 0,5 microgramas por quilograma de peso de corpo. A FDA (US Food and Drug Administration) estimou ingestões de 0,4 microgramas por kilograma de peso de corpo por dia.

Anúncios
Esse post foi publicado em Geral/variedades, Qualidade e Segurança Alimentar, Tecnologias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s